Após os efeitos do ciclone tropical Idai Sofala realiza com sucesso duas rondas de vacinação oral contra cólera

Maputo, 24 de Julho - No dia 22 de Julho, o Ministério da Saúde concluiu com êxito a 2ª ronda da campanha de vacinação de emergência contra a cólera, realizada nos distritos afectados pelo ciclone Tropical IDAI, que afectou a província de Sofala, no centro de Moçambique, em Março de 2019.  

À semelhança da 1ª Ronda, realizada em Abril deste ano, foram vacinadas mais de 800.000 pessoas de com idade acima de 1 ano. 

A vacina oral contra a cólera foi implementada por aproximadamente 1500 pessoas, entre membros da comunidade e técnicos de saúde e foi administrada às comunidades com maior risco identificadas pelo Governo nos distritos da Beira, Buzi, Dondo, Muanza, Nhamatanda e Sussundenga. A vacina foi doada pela Aliança Mundial para Vacinação e Imunização (GAVI) e partiu do stock Mundial de Vacinas contra a Cólera.

Campanha decorreu muito bem e as pessoas aderiram”, disse o Dr. José Langa, investigador e especialista sénior do Ministério da Saúde.

Um exemplo é o bairro de reassentamento Ndjejda, localizado no Distrito de Nhamatanda, que até o final do terceiro dia de vacinação as equipas já tinham vacinado a maioria dos membros das 402 famílias ali residentes. Os líderes do bairro deram o exemplo, uma vez que foram os primeiros a tomarem a vacina contra a cólera.

Castigo Mungolemba, líder local, residente naquele bairro desde Abril último, agradeceu as autoridades sanitárias pela disponibilização desta vacina. “Eu, a minha esposa e os meus filhos todos tomamos a vacina pela 2ª vez para prevenir a cólera. Na verdade, todos estamos muito bem aqui no nosso bairro”, disse Mungolemba.

Por seu turno Nito Zoronejo, secretário- Adjunto do bairro acrescentou “tomei a vacina para não apanhar cólera. Todos na minha casa tomamos e ninguém teve problemas”. 

Os dois líderes do bairro Ndjejda lançaram um apelo vigoroso às outras lideranças no sentido de todos tomarem a vacina “a fim de a população acreditar que ela é boa

Uma das novidades desta ronda é a implementação de uma abordagem inovadora denominada Cadeia de Temperatura Controlada (CTC), uma estratégia de conservação de vacinas, que permite que a vacina seja armazenada e transportada a temperatura ambiente até 40 graus Celsius, num período máximo de 14 dias. Esta abordagem vem responder aos principais desafios de conservação da vacina, uma vez que um grande número dos habitantes das zonas afectadas pelo ciclone vive nas zonas de reassentamento, onde ainda não se instalaram as infra - estruturas de energia eléctrica.   

Moçambique é o primeiro país a implementar oficialmente o CTC na vacinação contra a cólera.

"Com os desafios da cadeia de frio que o País enfrenta, a CTC permite que a vacina alcance a mais pessoas a um custo menor", disse a Dra. Djamila Cabral, Representante da OMS em Moçambique. 

Com a toma da 2ª dose da vacina contra a cólera o organismo cria uma imunidade por um período de cinco anos. 

A vacina oral contra a cólera é uma das medidas que permitem salvar vidas e impedir a propagação desta terrível doença. Fazem parte das outras medidas de prevenção da cólera o acesso à água potável e ao saneamento, bem como a observância das medidas de higiene individual e colectiva. 
FIM/

Click image to enlarge
For Additional Information or to Request Interviews, Please contact:
MOREIRA Maria Da Gloria

Health Promotion Officer
Tel: +258 21492733
Email: moreirag [at] who.int