OMS e seus parceiros lançam campanha de imunização de emergência para conter o maior surto de sarampo do mundo

Enquanto a maior e mais rápida epidemia de sarampo do mundo continua a alastrar na República Democrática do Congo (RDC), o governo, a Organização Mundial de Saúde (OMS) e os seus parceiros lançaram uma terceira campanha de vacinação de emergência em 24 zonas de saúde, visando cerca de 825.000 crianças dos 6 aos 59 meses. A OMS, os Médicos Sem Fronteiras, a UNICEF e o Governo da RDC forneceram vacinas e outros contributos essenciais para a campanha, com um financiamento de 2,5 milhões de dólares americanos do Fundo Mútuo das Nações Unidas para a Acção Humanitária. Até 17 de setembro, 183.837 casos suspeitos (5.989 confirmados) haviam sido notificados em 192 das 519 zonas de saúde do país, incluindo 3.667 mortes, mais do que o número de mortes por Ebola. Quase todas as mortes são crianças.

Em cada uma das 26 províncias do país, foram reportados casos de sarampo. Estas províncias continuam a lutar para controlar esta epidemia, que foi declarada pelo Ministério da Saúde a 10 de Junho. "A RDC está passando por esta situação preocupante porque muitas crianças perderam a imunização de rotina", disse o Dr. Deo Nshimirimana, Representante Interino da OMS na RDC. "Há agora grandes grupos de crianças no país que precisam de ser vacinadas. A OMS e os seus parceiros estão a trabalhar em estreita colaboração com o Ministério da Saúde no sentido de avançar o mais rapidamente possível para os alcançar". Na RDC, a cobertura de vacinação contra o sarampo de rotina foi de apenas 57% em 2018.

Esta campanha de nove dias, a terceira financiada pela OMS em 2019, eleva para mais de 4,1 milhões o número total de crianças de 6 a 59 meses imunizadas através de actividades de imunização de emergência em pelo menos 121 das 192 zonas de saúde afectadas. As 24 zonas de saúde visadas por esta campanha de emergência estão localizadas em seis províncias, nomeadamente: Equador, Mongala, Kwilu, Kwango, Mai-Ndombe e Kasai Oriental.

Como resultado desta campanha apoiada pela OMS, outros parceiros estão também a trabalhar com o Governo para organizar campanhas de vacinação em massa até 1 de Outubro. A UNICEF compra e distribui vacinas e garante a sua segurança através da logística da cadeia de frio para imunização em seis zonas de saúde na província de Kasai Oriental. A Primeira Emergência Internacional apoiará cinco zonas de saúde na província central de Kasai. Os Médicos Sem Fronteiras estão a participar numa campanha em cinco zonas de saúde em cinco províncias (Haut-Uélé, Ituri, Nord-Kivu, Tanganyika, Kwilu), enquanto os Médicos Sem Fronteiras estão a visar uma zona de saúde na província do Kivu Sul.

 As vacinas anteriormente obtidas para campanhas adicionais há muito planeadas estão agora sujeitas a um procedimento acelerado. Realizar-se-ão de 22 a 26 de Outubro de 2019, depois em Novembro de 2019 e Janeiro de 2020. Além dos US$ 2,5 milhões do Fundo Humanitário Comum para a campanha de emergência, o Ministério da Saúde forneceu US$ 843.000 para a compra de vacinas para cobrir necessidades urgentes em áreas de saúde afetadas pela atual epidemia. A OMS também mobilizou cerca de US$500.000 do Fundo de Reserva para Emergências de Saúde Pública (PHEF). A OMS também criou um comité de advocacia do sarampo para mobilizar parceiros e doadores num esforço conjunto para controlar a epidemia.

Photo: WHO/Kisimir Jonh Shim
Credits
Click image to enlarge
For Additional Information or to Request Interviews, Please contact:
Collins Boakye-Agyemang

Communications and marketing officer
Tel: + 242 06 614 24 01 (WhatsApp)
Email: boakyeagyemangc [at] who.int