"Depressão: Uma Crise Global" Jornada Mundial de Saúde Mental

Praia, 10 de Outubro de 2012 -- “DEPRESSÃO: Uma Crise Global”, foi o tema escolhido este ano para a celebração da Jornada Mundial de Saúde Mental - 10 de Outubro, e para assinalar o 20°- Ano da comemoração do Dia Mundial da Saúde Mental. Perguntamos: o que foi feito até aqui? Quais os passos a seguir neste conturbado mundo de crise económica internacional que vem agravar ainda mais à já elevada taxa de depressão no mundo?

Organizado pela Associação de Promoção da Saúde Mental, o XII°- Fórum “A Ponte”, reuniu-se a 5 de Outubro, na Biblioteca Nacional, num espaço propício para analizar e debater os problemas que se prendem com a saúde mental, e em particular com ”a depressão”.

A sessão oficial de abertura foi presidida pela Ministra Adjunta e da Saúde, Dra. Cristina Fontes Lima, (ao centro, foto em cima) na presença do Presidente de “A Ponte”, Dr. Daniel Ferreira, do Dr. António Vieira, da Associação de Apoio aos Doentes Depressivos e Maníaco-Depressivos de Lisboa (Portugal), que foi convidado para apresentar o tema central desta jornada: “DEPRESSÃO: Uma Crise Global”, e do Representante da OMS, Dr. Barrysson Andriamahefazafy.

Na sua alocução, a Ministra Adjunta e da Saúde felicitou a realização deste XII°- Fórum e parabenizou a Associação pelo seu 12° aniversário, tendo particularmente enaltecido o trabalho que a mesma tem vindo a fazer ao longo desses anos.

A Dra. Cristina disse na sua intervenção que a escolha do tema central destas comemorações dificilmente teria sido mais acertada, pelo facto de trazer à tona um problema que interpela toda a humanidade, pois a depressão pode atingir qualquer pessoa, independentemente da sua idade ou condição sócio-económica. A Ministra Adjunta alerta-nos para a necessidade imperiosa de agirmos para inverter a situação prevalescente, perante a ameaça real que o pêso da depressão já representa à escala mundial.

Em Cabo Verde, a determinação sobre a necessidade de uma intervenção neste domínio encontra-se salvaguardada na Política Nacional de Saúde, disse, e que apesar das dificuldades reais, esforços consideráveis vêm sendo dispendidos para a criação de condições para a implementação de directrizes visando a integração dos Cuidados de Saúde Mental nos Cuidados de Saúde Primários, o que se espera uma estratégia para melhorar o acesso e a qualidade dos serviços dispensados, disse.

A Ministra Adjunta anunciou que se encontra em curso um conjunto de acções para que num futuro próximo sejam ultrapassadas muitos dos constrangimentos que enfrentamos hoje. Tratam-se da: proposta de Lei sobre a saúde mental que vai ser submetida à apreciação na próxima reunião do Conselho de Ministros, a elaboração de um manual de protocolos terrapêuticos, o programa de formação para profissionais que prestam serviço a nível da atenção primária da saúde, a preparação de concursos para selecção de profissionais para formação especializada, e projecta-se igualmente a adequação da lista dos medicamentos, no que diz respeito às necessidades essenciais para o domínio da Saúde Mental.

O Presidente da Associação “A Ponte”, Dr. Daniel Ferreira, considerou o momento de celebração da Jornada Mundial também um momento de reflexão e perspectivação daquilo que deve ser feito em matéria de saúde mental.

O Dr. Daniel Ferreira acha que “em tempos de crise económica e financeira, uma reflexão sobre a depressão, é de toda a pertinência porquanto os indivíduos com pré-disposição genética ficam mais vulneráveis à depressão. Porque é sabido que, para além dos factores causais genéticos, existem também factores ambientais, nomeadamente as condições económicas desfavoráveis como a pobreza e o desemprego, e o seu agravamento determinam a Depressão, à qual estão muito ligados”.

Apesar da magnitude e frequência que fazem da depressão um problema de saúde pública, disse, muitas vezes ela não é reconhecida, não é diagnosticada, portanto não é tratada. E, quando o diagnóstico é feito, o tratamento é, na maior parte das vezes, inapropriado ou insuficiente. Perante esta realidade, é importante uma reflexão sobre a depressão no nosso contexto. Importa saber como estamos e como pretendemos ultrapassar o enorme défice de tratamento existente, afirmou.

Para o Dr. Daniel a “depressão” está na origem de um enorme sofrimento para os indivíduos, as famílias e as comunidades. Ela tem consequências, vezes sem conta, trágicas, e também tem um impacto negativo na produtividade, no rendimento das famílias e na economia, acrescentou.

Terminou anunciando o lançamento da brochura intitulada: “DEPRESSÃO: O Que Eu Sei Pode Ajudar”, que espera ser mais um contributo para melhores cuidados às pessoas com depressão.

O Representante da OMS, Dr. Barrysson Andriamahefazafy (foto em cima) felicitou igualmente a realização deste Fórum, parabenizou a Associação “A Ponte” pelo seu 12°- aniversário e felicitou-a pelo bom trabalho que tem vindo a realizar ao longo dos anos.

O Dr. Barrysson referiu-se igualmente à amplitude desta crise que afecta actualmente mais de 350 milhões de pessoas, enquanto 1 em 20 pessoas sofrem de depressão e quando o fardo desta doença constituia a terceira causa de morbilidade em 2004, devendo evoluir para a primeira causa daqui a 2030.

Esta jornada mundial de saúde mental interpela-nos para a pesquisa e implementação de soluções para esta crise, afirmou o Dr. Barrysson, que lembrou que menos de 50% das pessoas com necessidades, beneficiam de um tratamento de depressão. Disse também que os tratamentos eficazes existem; que a deporessão é um problema que pode ser diagnosticado e tratado com segurança por não-especialistas no quadro dos cuidados de saúde primários; que apenas uma minoria de casos de depressão complexo necessita de cuidados especializados e que uma das abordagens mais importante é a de falar e escutar esses doentes para mostrar que estamos ao lado deles para ajudar.

Em nome do Dr. Luís Gomes SAMBO, Director Regional da OMS para a África e da Dra. Margaret CHAN, Directora Geral da OMS, apelou para o reforço contínuo da colaboração entre os governos, os dadores, organizações não governamentais, as empresas de produtos farmacêuticos e a sociedade civil para pormos em comum os nossos recursos e o coordenarmos sob a liderança do Ministério da Saúde, a fim de:

  • tornar disponível os medicamentos essenciais psicotrópicos nos diferentes níveis do sistema dos cuidados de saúde primários, donde a nível comunitário
  • continuar a educar o público
  • desenvolver e implementar uma política e estratégia integrada de saúde mental no quadro global da luta contra as doenças não transmissíveis - DNT.(Convém referir aqui que em 2010 em Cabo Verde : 58% da mortalidade eram devidas às doenças não transmissíveis, d’entre elas a saúde mental - Relatório OMS 2011).

Dos temas abordados neste fórum, todos apresentados por especialistas, gostaríamos de fazer uma breve ressalva à contribuição da Organização Mundial de Saúde, na pessoa da Dra. Yolanda Estrela, Economista de Saúde, que no tema “A crise económica e a depressão” enfatizou a influência do contexto sócio-económico e dos determinantes sociais na saúde e nas desigualdades em saúde, em particular na saúde mental.

Quanto à depressão como consequência da crise económica, disse que não haver ainda investigação com base nas populações sobre a actual crise económica e a saúde mental, salvo algumas análises nos países da OMS/Europa (2009, 2011) indiciam o impacto da crise no aumento dos transtornos e sintomas mentais.

A Dra. Yolanda concluiu a sua apresentação com algumas recomendações da OMS concernentes às medidas de prevenção e de controlo da depressão.

Durante o XII°- Fórum, outros sub-temas foram apresentados, nomeadamente: “Depressão: Uma preocupação Global de Saúde Pública”, pelo psiquiatra Dr. Daniel Ferreira e pela Dra. Rosângela Varela, psicóloga clínica do Hospital Baptista de Sousa. “Depressão e a crise económica”, apresentados pelo economista Dr. Manuel Varela Neves e pela Dra. Iolanda Estrela, Economista em Saúde e funcionária do escritório da OMS (MPN).

A última apresentação foi da pediatra Dra. Conceição Carvalho e da Doutora Kika Freyre, psicóloga e Doutora em Antropologia, que abordaram o sub-tema: “Depressão na Infância e Adolescência”.

De 5 a 12 de Outubro, actividades similares decorrerão em outras ilhas e localidades do Arquipélago.

Depressão: Uma Crise Global - Jornada Mundial de Saúde Mental - 10 de Outubro de 2012

Para mais informações, contactar:

Tels: (+238) 260 19 00, (+238) 260 19 01

Fax: (+238) 262 14 08

Email: mendoncaj [at] afro.who.int

Click image to enlarge